anabela

Anabela Garcia Pinto es doctora en Literatura Medieval por la Universidad do Minho, Portugal. Es investigadora integrante del Centro de Estudios Humanísticos de dicha universidad, e integrante de la Fundação para a Ciência e Tecnologia. Asimismo, es miembro de la International Arthurian Society desde 2006 y profesora de prtugués en la Cooperativa de Ensino Didáxis.
Autora de “Era uma vez um cervo” y “O mundo está a ver- Contos urbanos”, editados en 2011 y de “A vida é uma chávena de café”, en 2013. publicó en 2014 un ensayo, parte de su tesis doctoral, titulado “Mind Your Head”, originalmente escrita en portugués. En 2015 editará “Deus já regressou da Jamaica”.
Más información:

Anabela Garcia Pinto é doutorada em Literatura Medieval pela Universidade do Minho. É investigadora integrante do Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho e, como tal, inscrita na Fundação para a Ciência e Tecnologia. É igualmente membro da International Arthurian Society, desde 2006, tendo como tal participado em vários encontros internacionais para apresentação das suas investigações. Professora de Português na Cooperativa de Ensino Didáxis, concilia a investigação com a docência e a publicação de romances de ficção.
Com dois romances de ficção publicados em 2011 (“Era uma vez um cervo” e “O mundo está a ver- Contos urbanos”), e um romance publicado em 2013, “A vida é uma chávena de café”, encontra nas palavras dos livros, nas músicas e no cinema as suas formas de expressão para várias situações. Tem como vício a criação de bandas sonoras para a(s) sua(s) vida(s), ilustradas com um qualquer trailer de um filme visto com os olhos da curiosidade. Publicado em maio de 2014 tem um ensaio, parte da sua tese de doutoramento, “Mind Your Head”, originalmente escrita em português. Este ensaio de 238 páginas revisita a obra célebre do medievalista norte-americano Roger Sherman Loomis, analisando as vicissitudes da tese das origens célticas da matéria da Bretanha e as suas implicações na interpretação dos motivos nucleares do universo ficcional arturiano. Aí se dão respostas a várias perguntas: Sabia que o graal pode ter a sua origem no corno da abundância céltico? E que o rei Artur se limitava a não fazer nada enquanto os seus cavaleiros se desunhavam em combates e aventuras? E a mulher, esse ser tentação que povoava a literatura arturiana? Depois da publicação de 2014, seguir-se-á, no outono de 2015, o lançamento do conto “Deus já regressou da Jamaica”. Enquanto isto, encontra-se já a escrever a sua quinta obra de ficção, ainda sem nome, mas já com as personagens e os seus nomes escolhidos.

Anabela Garcia Pinto
anabela2

Anuncios